Aparelhos celulares podem conter até 23 mil fungos e bactérias diz estudo

Um estudo realizado em aparelhos celulares identificou que eles podem conter até 23 mil fungos e bactérias que causam infecções respiratória e urinária e outras doenças como conjuntivite, intoxicação alimentar e micoses. A necessidade de limpeza dos produtos foi alertada pela pesquisa da Davry Metrocamp, em Campinas que também indicou os grupos mais vulneráveis.

A biomédica e doutora em ciências, Rosana Siqueira, explica que as crianças têm o hábito de pegar os aparelhos celulares de seus pais e acabam se contaminando também.

Durante a pesquisa foram utilizados 20 celulares, 5 tabletes, 12 teclados e mouses. As capas dos aparelhos celulares e tabletes também foram analisadas. Os resultados mostraram que em 43% dos objetos analisados, entre as 74 amostras, o microrganismo dominante foi a bactéria Staphylococcus aureus. Esse microrganismo tem associações com infecções de pele, tais como furúnculo e abcessos e também infecções aéreas superiores como otites e sinusites e em casos mais graves causar até a meningite. Em alguns aparelhos foram encontrados bolores e coliformes fecais. A Davry Metrocamp divulgou em agosto deste ano uma pesquisa que mostrou as bactérias presentes no fone de ouvido. Em 87% dos 40 fones analisados estavam contaminados com a mesma bactéria dos aparelhos celulares.

Rosana destaca que a contaminação não está associada ao uso do aparelho celular, e sim a falta de higienização das mãos após o usuário utilizá-lo. Isso ocorre porque ao longo do dia, preparamos alimentos, coçamos os olhos com as mãos e entramos em contato com o celular em seguida contaminando o equipamento.

Outras formas de prevenir as enfermidades, é a utilização de álcool em gel para fazer a limpeza do aparelho e dos acessórios que não danifica as partes elétricas e deixar secar em local seco e arejado. A limpeza é recomendada semanalmente, porém se houver contato com pessoas doentes, o recomendado é a limpeza imediata. O aparelho tem que estar desligado para que a higienização seja realizada e recomenda-se aguardar 10 minutos antes de ligá-lo novamente.

Fazendo a limpeza correta as bactérias serão eliminadas e o usuário terá a segurança e tranquilidade de usar o aparelho livre de contaminações.

 

Segundo estudos o deserto do Saara um dia já apresentou matas e vários animais

Atualmente o deserto do Saara é seco, rude e extremamente quente, localizado no norte do continente africano. Mas alguns pesquisadores acreditam que essa região era formada por pradarias e savanas, onde matas abrigavam diversos animais e vegetações, com lagos e incidência de muitas chuvas nessa região.

Isso acontecia há menos de dez mil anos atrás, época conhecida como Saara úmido ou Saara verde.

Mas pensar que o maior deserto quente do mundo, onde atualmente ele apresenta cerca de 35 e 100 milímetros de chuva, e há alguns milhares de anos atrás, ele apresentava uma quantidade cerca de vinte vezes  maior de chuva  do que ele apresenta hoje, é muito difícil de acreditar nisso.

A terra era fértil graças às chuvas intensas ocasionadas pelo vento das monções. Diversos pesquisadores já recriaram o clima e o tipo de vegetação, que esse local apresentava há cerca de dez mil anos atrás. Em um estudo recente feito por pesquisadores suecos da Universidade de Estocolmo, e de americanos das universidades do Arizona e de Columbia, eles estudaram o acúmulo marinho no norte do continente africano, tentando encontrar um padrão na incidência das chuvas.

A ocorrência das chuvas durante o ano pode ter chegado a dois mil milímetros de chuvas a mais, do que acontece atualmente. A sua vegetação devia ser semelhante ao que encontramos atualmente no sul do Senegal, declarou o climatologista Francesco Pausata, da Universidade de Estocolmo, e um dos autores da pesquisa.

Fazendo parte do Sahel está o Senegal, com uma área que forma uma faixa de 500 a 700 km de largura, e mais de cinco mil quilômetros de extensão, guardada por uma zona com vegetação bastante variada e que acaba protegendo o país, dos ventos vindos do deserto do Saara.

Essa faixa é uma área transitória do deserto no norte e a savana do Sudão no sul, indo do oceano Atlântico até o mar Vermelho.

Alguns outros países são cortados pelo Sahel além do Senegal, como a Gâmbia, o centro do Mali, a região sul da Mauritânia, Burkina Faso, o norte da Nigéria, o norte de Camarões, o sul da Argélia, a região central do Chade, a Eritreia, o Djibuti, a Somália, o norte do Sudão do Sul, a Etiópia, o sul do Níger e o sul do Sudão.

Francesco Pausata acredita que alguns animais que atualmente vivem no Sahel, como gazelas e gnus, devem ter habitado a região bem ao norte do Saara Ocidental.

Os oito maiores e mais fantásticos aquários encontrados no mundo

Os maiores aquários do planeta apresentam tanques enormes, túneis transparentes e diversas espécies de animais, como tubarões, golfinhos e peixes. Os maiores aquários encontrados no mundo são:

Georgia Aquarium (Atlanta, Geórgia) – Esse é o maior aquário do planeta, com 10 milhões de litros de água e cerca de mais de 500 espécies marinhas. Ele também é considerado o maior tanque para peixes encontrado no mundo.

Dubai Mall Aquarium (Dubai, Emirados Árabes Unidos) – Esse aquário fica dentro do maior shopping do planeta, o  Dubai Mall.  Nesse aquário vivem mais de 33.000 animais, sendo que muitas raias e cerca de quatrocentos tubarões. Nesse aquário feito com um material especial que não se rompe, ele possui uma capacidade de 10 milhões de litros de água.

Okinawa Churaumi Aquarium (Okinawa, Japão) – Esse aquário já foi o maior do mundo até a inauguração do Georgia Aquarium. Podem ser encontrados nesse aquário diversos tubarões-baleia, mais de oitocentas colônias de coral, entre muitas outras atrações. O aquário fica dentro do Ocean Expo Park.

L’Oceanografic (Valência, Espanha) – Nesse aquário podem ser encontrados mais de 45.000 animais marinhos, sendo que algumas baleias, pinguins, golfinhos e muitos outros. Esse aquário da cidade de Valência é o maior encontrado no continente europeu.

Turkuazoo (Istambul, Turquia) – Um dos maiores e mais importantes aquários da Europa, ele possui mais de dez mil espécies diferentes de animais marinhos, incluindo piranhas, polvos e tubarão-tigre.

Monterey Bay Aquarium (Monterey, Califórnia) – Possuindo dois tanques com mais de seiscentos animais marinhos, ele apresenta diversas espécies raras. Esse aquário fica ao lado do Cannery Row, apresentando uma das maiores aberturas únicas do planeta.

uShaka Marine World (Durban, África do Sul) – Esse aquário é um dos maiores do planeta, apresentando 32 tanques. Ele faz parte de um parque temático, onde existem mais três atrações além do aquário, totalizando cerca de dezesseis hectares de área total.

Shanghai Ocean Aquarium (Xangai, China) – Esse aquário possui o túnel mais comprido, com 120 metros. Ele é o terceiro maior aquário do continente asiático, com espécies vindas de todos os continentes e de vários oceanos, totalizando cerca de 450 espécies marinhas, distribuídos em nove tanques.

 

Uma dose de álcool pode ser um aliado na melhora da pronúncia de idiomas, diz estudo

De acordo com um estudo publicado no Journal of Psychopharmacology, pequenas doses de álcool podem garantir uma melhora na performance do discurso em outro idioma — diminuindo significativamente a ansiedade comum em situações desse tipo.

Destacou, que apesar dos aspectos negativos que o consumo de álcool traz para a saúde, após beberem as pessoas que participaram da pesquisa, tonaram-se mais fluentes em idiomas não-nativos.

Como foi o estudo

A pesquisa, feita por estudiosos da Universidade Maastricht, nos países baixos, acompanhou 50 pessoas de nacionalidade alemã que haviam ingressado na instituição. Entretanto, pelo fato de o curso ser ministrado na língua holandesa, tiraram certificado neste idioma. Além disso, eles afirmaram ter o hábito de beber eventualmente.

Cada um dos participantes foi submetido a uma entrevista de cerca de dois minutos com um avaliador de nacionalidade holandesa. No entanto, antes dessa entrevista, metade dos integrantes ingeriu bebida alcoólica — um copo de cerveja. A outra metade tomou apenas água.

Tudo foi avaliado por pessoas que falavam fluentemente os dois idiomas e que não sabiam quem havia ingerido álcool ou não. Os participantes foram questionados sobre suas performances e o que pensavam sobre sua pronúncia no momento da entrevista e qual era, exatamente, o grau de confiança que tinham em relação a ela e o que acharam de seu desempenho.

O álcool não influenciou na autoavaliação dos participantes

Causou surpresa aos avaliadores o fato de o consumo de álcool não influenciar na forma de como os participantes se avaliaram — aqueles que consumiram álcool não se sentiram mais confiantes quando comparados aos que não consumiram.

Mas, de acordo com os avaliadores, seus resultados foram, de fato, melhores. Consideraram aqueles que ingeriram bebidas alcoólicas mais fluentes e, além disso, com uma pronúncia mais qualificada. No entanto, em relação a outros fatores, como gramática e vocabulário, os resultados foram bem parecidos.

O estudo, porém, não avaliou os fatores emocional e psicológico de cada participante, mas, apesar disso, é bem possível que o álcool tenha ação direta na ansiedade da fala, melhorando o desempenho no discurso.

É importante deixar claro que as doses utilizadas na pesquisa foram baixas e que, provavelmente o consumo em excesso não garantirá bom desempenho, pelo contrário pode resultar em resultados negativos e muito diferentes.

Existem controvérsias

Não há como saber se os voluntários tiveram o desempenho de seus discursos potencializados devido a fatores biológicos ou psicológicos. Outras pesquisas já mostraram que pessoas que pensam estar bebendo, mas, na verdade, não estão, têm seus resultados parecidos aos daqueles que haviam realmente bebido.

 

Luiz Trabuco Cappi deixará o posto de presidente executivo do Bradesco

Resultado de imagem para Luiz Carlos Trabuco Cappi
Luiz Carlos Trabuco Cappi

O presidente-executivo do Bradesco, Luiz Carlos Trabuco Cappi, assumirá também o cargo de presidente de residente do conselho de administração do banco. A decisão ocorre devido a renúncia de Lázaro de Mello Brandão do posto. Trabuco, como é conhecido pelos amigos, vai ocupar as duas cadeiras até março de 2018, quando será anunciado o novo diretor presidente do segundo maior banco privado do Brasil.

O ex-presidente

Brandão deixa o cargo aos 91 anos de idade e com mais de 70 anos de banco. O executivo, que agora vai ocupar o posto de presidente do conselho de administração das empresas comandadas chegou ao banco em 1942. Na época ainda chamado de Casa Bancária Almeida & Cia.

Lázaro de Mello Brandão passou por diferentes áreas e níveis hierárquicos. Já foi presidente executivo entre 1981 e 1990 e presidente do conselho de administração de 19900 até agora. Para ele, “é preciso haver renovação prudente no cargo” e que o banco necessita de acompanhar os processos tecnológicos em função da excelência do atendimento ao público, mantendo o foco nos clientes (pessoa física e varejo).

Luiz Carlos Trabuco Cappi não pode ocupar os dois cargos, tendo em vista que o estatuto do banco tem uma regra que nenhum profissional pode ocupar mais de um cargo de liderança. Dessa forma, o executivo deixará o cargo de presidente executivo e uma nova eleição será realizada.

“O próximo presidente será egresso do corpo executivo do Bradesco”, afirmou Trabuco em entrevista. A frente da instituição desde 2009, ele ingressou na instituição em 1969 e, como Brandão, passou por diferentes níveis hierárquicos até ocupar o posto mais alto da instituição, a exemplo de escriturário (primeiro cargo), presidente da Seguros, vice-presidente e presidente executivo.

Luiz Carlos Trabuco Cappi foi o responsável pela fusão com o HSBC em 2015. A aquisição custou ao banco de Osasco o valor de R$ 5,2 bilhões, que foi a maior transação financeira do ano e uma das mais expressivas dos últimos tempos. O executivo sempre bateu na tecla da digitalização nos processos da instituição, sobretudo nos últimos meses devido ao crescimento de fintechs nos país.

A respeito de sua sucessão, Luiz Carlos Trabuco Cappi acredita que seja uma tradição que o processo e que este deve ser guardado na memória, tendo em vista que a escolha reflete no presente e no futuro da organização. Segundo ele, o maior desafio para seu sucessor será o maior ingresso e a “alfabetização” dos clientes para os processos digitais oferecidos pelo banco, uma vez que apenas 14 milhões dos 27 milhões de clientes aderiram aos recursos digitais do banco.

Principais nomes para assumir o cargo que será deixado por Luiz Carlos Trabuco Cappi estão três vice-presidentes do Bradesco. São eles:

Maurício Minas, vice-presidente de tecnologia. O executivo tem como diferencial o papel de liderança na revolução tecnológica dos processos internos, bem como o desenvolvimento do banco digital da instituição, o Next;

Alexandre Glüher, também vice-presidente, só que da área de Relações com Investidores;

Josué Pancini, responsável pela rede de agências.

 

Homenagens que em muitos dos casos se tornam piada

De boas intenções o mundo está cheio, e se na maioria das vezes as pessoas não realizam uma ação em razão de uma causa nobre, pelo menos a fazem em benefício próprio.

Mas acontece que em vários casos um sujeito possui as melhores das intenções para realizar algo, homenagear alguém, ou ajudar de alguma forma uma causa que acha legal, só que no final das contas acaba não dando muito certo.

Quanto às pessoas públicas, parece que elas são mais passíveis ainda de passarem por situações que beiram ao constrangimento. O mundo esportivo, o mundo político e o mundo do entretenimento nenhum deles está livre disso.

Tal qual a situação que aconteceu há não muito tempo envolvendo o astro maior do universo futebolístico, o jogador de futebol Cristiano Ronaldo, que foi tida um tanto quanto vexatória.

Tudo por conta da inauguração, em sua terra natal, de um monumento em sua homenagem, que nada mais era do que o reconhecimento dos conterrâneos ao talento e as boas ações praticadas pelo ilustre filho.

Outras situações, onde também as homenagens se tornam malsucedidas, é quando os fãs e admiradores dos artistas tatuam na própria pele o rosto do ídolo venerado. E quando isso acontece ao invés do ato ser considerado uma incrível homenagem, acaba virando motivo de piada.

E o que dizer das situações em que os artistas que são homenageados e premiados, mas que se recusam a comparecer e receber as honrarias prestadas. Como sucedeu na premiação do prêmio Nobel, na qual um dos premiados, o cantor Bob Dylan, não compareceu ao evento.

Nesse esquema de prestação de homenagens está o Museu Madame Tussauds de Londres, que tem como atrativo maior as estátuas em tamanho natural das celebridades do showbiz, e que devido a fama que possui é um dos museus mais replicados no mundo.

Por conta disso uma das suas filiais terminou virando assunto na internet, não em razão de suas réplicas perfeitas, mas sim pelas réplicas bizarras que em nada se parecem com os artistas.

Paris estuda proibição de carros movidos a combustíveis fósseis até 2030

A cidade de Paris, localizada na França, poderá ser a primeira no mundo a banir todos os veículos movidos a combustão até o ano de 2030. A medida tem sido estudada pelas autoridades da capital francesa, que poderão determinar uma proibição de todos os veículos movidos a gasolina e diesel na cidade, abrindo as portas para os veículos elétricos.

Segundo as autoridades de Paris, a medida teria como objetivo acelerar os planos de substituir os veículos a combustão pelos elétricos. Isso porque a capital francesa passa por diversos picos de poluição atmosférica frequentemente, tendo até que proibir temporariamente a circulação de veículos na cidade. Sendo assim, a medida que visa a mudança para os veículos elétricos poderia acabar com o problema mais rapidamente.

O país francês já estabeleceu metas para acabar com a circulação de veículos movidos a combustíveis fósseis com um prazo máximo de até 2040. Contudo, a prefeitura de Paris informou que a medida estudada pela cidade é importante, pois as cidades grandes da França devem adotar a redução gradual de uma forma mais rápida para que o país passe pela mudança definitiva.

A autoridade responsável pelas questões de transporte em Paris, Christophe Najdovski, revelou sobre os planos para a cidade: “Trata-se de planejar para o longo prazo com uma estratégia que reduzirá os gases de efeito estufa”. Najdovski aprova a medida como uma forma de reduzir a poluição atmosférica da cidade e afirma que as autoridades de Paris estão estudando sobre o assunto: “O transporte é um dos maiores produtores de gases de efeito estufa, por isso estamos planejando uma retirada dos veículos de motor a combustão, ou veículos de energia fóssil, até 2030”.

Após sediar o pacto climático mais recente relativo às políticas de contenção para o aquecimento global e ainda ter sido convidada para sediar a Olimpíada de 2024, Paris já tinha revelado que planejava acabar com a circulação de veículos a diesel até a abertura dos jogos da Olimpíada.

A prefeitura da cidade de Paris já foi fortemente criticada por outras políticas de proibição adotadas na cidade, onde uma delas proíbe a circulação de veículos em determinadas zonas, ou ainda multa os motoristas que circularem com veículos que tenham mais de 20 anos de fabricação.